Saiba quais são os Selos para Construção Sustentável

Selos de sustentabilidade geram economia e ajudam o planeta. Veja como conseguir

Pensar na sustentabilidade do planeta é uma atitude cada vez mais comum na sociedade. Preservar o meio ambiente com atitudes de respeito à natureza deixou de ser apenas uma teoria e passou a oferecer certificações de empresas internacionais especialistas no assunto. O aval destas organizações tem um nome específico no Brasil: selo de sustentabilidade (ou ecológico). Isso se deu através do Relatório Brundtland, em 1987, que estabelecia algumas metas para a preservação do nosso ambiente.

Abaixo listamos os principais selos de sustentabilidade disponíveis no Brasil. Cada um tem suas características, mas todos podem ser encaixados no seu empreendimento. Por isso, com sabedoria e planejamento, é possível dar exemplo e ainda contribuir para melhorar o planeta.

 

LEED


Leed é a sigla para Leadership in Energy and Enviromental Design, da organização Green Building Council Brasil (GBCB). É um dos principais certificados ecológicos do país, com oito modalidades de edifícios diferentes. Há quatro selos da LEED: certificação, silver, gold e platinum. Entre os sete critérios avaliados estão o uso da água, materiais e recursos, energia/atmosfera e inovação. Ela abrange vários tipos de edificações: novas, bairros, lojas de varejo, hospitais, escolas, entre outros.

 

Casa Azul


Vinculada à Caixa Econômica Federal, este selo é dividido em ouro, prata e bronze. Ele valia critérios como eficiência energética, consumo racional de recursos hídricos, conservação de materiais, além de práticas sociais e urbanas. É ideal para aqueles que buscam gerar menos impacto ambiental, aliados a economia na infraestrutura e sua consequente manutenção.

DGNB


Da sigla alemã Deutsche Gesellschaft für Nachhaltiges Bauen, ela é voltada a edifícios, loteamentos e bairros. Também se divide em selos ouro, prata e bronze. Seus critérios contam a qualidade das estruturas, sejam elas econômicas, socioculturais ou técnicas. Diferente dos demais selos, ela incorpora práticas interligadas a sustentabilidade, como a segurança.

AQUA-HQE


A certificação que vem da França acompanha todos os processos dos empreendimentos: programa, projeto, obra e uso. Esta linha permite uma gestão eficiente de todos os recursos naturais, racionalizando principalmente a utilização de água e luz elétrica, além de menores custos com manutenção e conservação. São várias etapas: é necessário atingir sete categorias no nível Base; quatro em Boas Práticas; e três na Melhores Práticas.

 

FSC


A Forest Stewardship Council ou FSC é fundamentada nas práticas de preservação florestal dos empreendimentos. Ela certifica em três processos: madeira controlada, cadeia de custódia e manejo florestal. Ou seja: quanto mais responsável a empresa se portar ao utilizar de matérias-primas das florestas, melhor será seu conceito.

 

Qualiverde


Outro selo brasileiro que pode ser uma ótima escolha em questões de benefícios fiscais. Os descontos e isenções podem atingir tributos como ISS, IPTU e ITBI. Outras práticas, como retenção da água da chuva e a economia com infraestrutura e manutenção também estão entre os destaques. Os selos são aplicados em edifícios, sejam comerciais ou residenciais, da sua construção até a reforma.

 

Procel Edifica


Vinculado aos ministérios de Minas e Energia e de Cidades, este selo se dá em dois momentos: no projeto e na construção do prédio. O principal ponto deste selo é melhorar o desempenho energético, com práticas que diminuem o uso da eletricidade, buscando soluções para o ambiente interno das edificações.

Deixe seu comentário.