Energia solar ajuda a reduzir gastos em contas de luz

 

 

A diminuição contínua do nível dos reservatórios das principais usinas hidrelétricas alavancou o valor da tarifa de energia elétrica brasileira, uma das mais altas do mundo. O peso da energia no orçamento das famílias e no custo dos negócios tem motivado muitas pessoas a adotarem a energia solar como uma alternativa para reduzir esses gastos – um movimento que tem potencial de promover uma mudança (para melhor!) na matriz energética nacional e no modo como pensamos a produção de energia.

Muito além de uma opção de geração de energia limpa e renovável, a evolução tecnológica da energia solar fotovoltaica proporcionou uma diminuição considerável nos custos dos sistemas, principalmente em relação aos painéis e baterias. Assim, com o aumento da energia elétrica advinda primariamente de hidrelétricas e termelétricas, bem como o expressivo barateamento dos dispositivos que utilizam tecnologia fotovoltaica, o custo-benefício da energia solar nunca foi tão atraente.

Por isso, você conhecerá mais sobre a energia solar fotovoltaica e como a adoção dessa tecnologia pode ajudar as famílias e empresas a reduzirem as suas contas de luz. Confira!

 

Como funciona a energia solar

 

Diferente de outros sistemas de produção energética, como as usinas termelétricas ou hidrelétricas, a tecnologia de geração de energia solar tem baixo impacto ambiental e pode ser implementada com um custo muito menor. Consequentemente, qualquer família pode instalar painéis solares em sua casa e começar a produzir energia limpa.

Mas como é feita a captação da energia solar e de que forma ela é transformada em energia elétrica?

Antes de responder à pergunta, precisamos esclarecer que existem dois sistemas que se sobressaem quando falamos em energia solar: os painéis fotovoltaicos e os aquecedores solares. Ambos transformam a energia solar em outro tipo de energia, mas utilizando processos diferentes e podem contribuir de forma significativa para reduzir as despesas com energia elétrica.

 

Energia solar fotovoltaica

 

O padrão tecnológico mais usado é o de painéis solares compostos por células formadas por várias camadas de silício que atuam absorvendo a radiação solar. Os painéis são conectados a um dispositivo inversor, que transforma a corrente contínua do sistema em corrente alternada para fazer os nossos eletrodomésticos, lâmpadas e computadores funcionarem.

Claro, a geração energética só funciona em dias ensolarados, por isso, o sistema é dotado de baterias que armazenam energia elétrica para o período noturno ou em momentos de baixa incidência solar.

 

Aquecedores solares

 

Os aquecedores solares são muito utilizados para sistemas de aquecimento de água, esquentando a água que sai dos chuveiros e torneiras. O calor, que vem dos raios solares, é absorvido por uma placa coletora, normalmente feita de cobre ou aço inox, e esquenta a água que passa por um conjunto de serpentinas, um tipo de tubo que fica dentro da placa coletora.

Depois, essa água, já aquecida, é guardada em reservatórios conhecidos como boilers, que a armazena e conserva para que ela seja usada depois.

 

Vantagens econômicas da energia solar

 

Ficou claro que a energia solar pode se transformar em energia elétrica através dos sistemas fotovoltaicos, mas também é possível usar o sol para aquecer água. Mas como essas tecnologias podem ser mais vantajosas do que simplesmente utilizar a energia elétrica que chega pelo poste e abastece os nossos equipamentos?

A resposta mais simples é que, a longo prazo, essa é uma solução que faz mais sentido economicamente. A evolução tecnológica dos sistemas de captação solar e das baterias permitiu um barateamento consistente da energia solar, e, com isso, o retorno do investimento está acontecendo cada vez mais rápido.

Painéis solares não são equipamentos eletrônicos dotados de microchip, placa-mãe ou memória RAM, o que significa que não ficam ultrapassados e são projetados para durarem muitos anos.

Laboratório Nacional de Energias Renováveis dos Estados Unidos (NREL) do Departamento de Energia dos EUA estima que a durabilidade dos painéis solares – que é a porção de equipamento mais cara do sistema – seja superior a 30 anos.

Baseado nos hábitos de consumo médios das famílias brasileiras, a economia com energia elétrica permite recuperar o investimento dos painéis solares e demais componentes do sistema em um período estimado entre 6 e 8 anos. Ou seja, na pior das hipóteses, o usuário do sistema de energia solar ainda poderia utilizar a energia elétrica convertida da radiação solar – arcando apenas com os baixíssimos custos de manutenção – por mais 22 anos!

No caso do aquecedor solar, a durabilidade do sistema é um pouco menor, algo em torno de 20 anos, mas essa é uma tecnologia mais barata que os painéis solares e permite aquecer a água com um impacto econômico muito menor.

 

Como reduzir a conta de luz com a energia solar

 

A falta de chuvas nas represas das hidrelétricas e a necessidade da adoção da energia elétrica das termelétricas para evitar o desabastecimento têm feito o custo de a energia subir vertiginosamente. A tendência é que a situação fica ainda mais dramática nos próximos anos.

Por isso, a adoção da energia solar é uma ótima opção para reduzir a conta de luz das empresas e das famílias. Já falamos sobre o custo real e sobre a alta durabilidade dos equipamentos, mas existem, ainda, outros aspectos a serem considerados.

Através dos sistemas de energia solar fotovoltaica e dos aquecedores solares, as famílias e empresas podem reduzir ou eliminar a conta de luz e a dependência do sistema elétrico, que, como bem sabemos, pode ser bastante problemática no Brasil.

Além disso, o relatório de Infraestrutura Renovável do Fórum Econômico Mundial estabeleceu que desde 2016 a energia solar já é mais barata que o petróleo, e os governos agências de fomento à infraestrutura estão se alinhando para dar mais apoio à energia limpa.

A própria Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) permite que quem produz energia através do sol possa devolver o excedente para o sistema e creditar abatimentos futuros em sua conta de luz.

Com o custo dos sistemas de conversão da energia solar caindo e os benefícios governamentais se intensificando, a opção pela energia solar está cada vez mais solidificada. Em um país como o nosso, onde sol é o que não falta, esse é um caminho irreversível para a produção de energia renovável.

Deixe seu comentário.