Crise econômica versus aumento do uso da energia solar

Os últimos anos no Brasil foram um período difícil e conturbado, tanto do ponto de vista político, quanto econômico. O período de 2014 a meados de 2016 ficou conhecido como a pior crise de nossa história recente, causando bastante destruição de valor. Em 2015 e 2016, o PIB (Produto Interno Bruto), o indicador econômico que contabiliza todos os bens e serviços produzidos anualmente, teve um desempenho negativo.

Após três anos de recessão econômica, 2017 promete ser um ano de PIB positivo e, portanto, como os especialistas vêm apontando, de reaquecimento da economia. Os fatores que têm contribuído para isso são o controle da inflação e consequente diminuição da taxa de juros. Além disso, a safra recorde de 2017 ajudou o PIB brasileiro voltar a ter um crescimento efetivo.

Diante desse cenário, é interessante notar como, apesar da recessão econômica fortíssima que enfrentamos, o uso de energia solar só aumentou. Por que isso ocorreu? Listamos algumas possibilidades para esse fenômeno.

1) Energia solar: investimento no futuro

Aqueles que optaram por aderir à energia solar entenderam que estavam realizando um investimento para o futuro. Com planejamento e organização, é possível tirar inúmeros benefícios da energia solar em longo prazo. Definitivamente, o aumento das vendas deveu-se a pessoas com visão macro, ou seja, com o entendimento de que o valor inicial investido dilui-se ao longo do tempo.

Mas as vantagens do uso de energia solar não se fazem visíveis só no longo prazo. Elas se tornam persistentes com o decorrer do tempo, mas os benefícios econômicos são sentidos logo nos primeiros momentos de adesão ao novo sistema.

2) Economia

Os adventos tecnológicos têm proporcionado painéis solares cada vez mais potentes e duráveis. Isso têm oferecido um serviço mais otimizado e com uma melhoria significativa da relação custo – benefício.

Entre os que optaram por aderir as vantagens da energia solar, a principal característica destacada está na economia da conta no final do mês.

O que muita gente não sabe é que a energia solar pode ser utilizada para substituir ou complementar a energia elétrica tradicional. Dessa forma, não é necessário abrir mão de um sistema para investir no outro. É possível contar com as vantagens dos dois modelos e, assim, diminuir as desvantagens de cada um.

Por si só, isso explica o aumento do uso de energia solar em momentos de crise econômica. E se a opção é viável em momentos de recessão, agora, com o reaquecimento gradual da economia, a energia solar desponta como uma opção cada vez mais vantajosa.

3) Meio ambiente

Não há mais muita dúvida em relação ao futuro das matrizes energéticas. Ainda que pareça distante, é um fato posto que, no futuro, as opções de energia e combustível vão depender muito mais de fontes limpas do que fontes predatórias da natureza.

Necessariamente, o futuro econômico das matrizes energéticas está diretamente relacionado com essa substituição, por conta do fato evidente de que algumas matrizes são esgotáveis.

4) Momentos de crise: criatividade

Outro dos fatores do crescimento do uso de energia solar durante momentos de crise está associado com o fato de que é nesses períodos que as pessoas precisam, por força do que está posto, aderir a soluções criativas e inovadoras.

Sempre que uma crise econômica se instala, temos que nos mexer para sair do comodismo e lançar mão de atitudes que desafiem o senso comum. Quem teve coragem para aderir à energia solar, durante o período 2014-16, fez porque resolveu pensar fora da caixa e buscar alternativas para os problemas. Essa é sempre uma postura mais benéfica do que aquela que tende para reclamação.

Deixe seu comentário.
Comentários
03/10/2018 20:53
Ótimo ponto de vista, a crise hídrica também favoreceu.