Armazenamento de energia solar pode se tornar uma realidade

 

A energia solar apresenta uma série de vantagens, tanto para o planeta quanto para quem faz uso dela. Ela provém de uma fonte inesgotável; a conversão de energia solar em energia elétrica é praticamente inofensiva ao meio ambiente; os painéis fotovoltaicos estão ficando mais acessíveis e é possível economizar muito a longo prazo.

No entanto, apesar de tudo isso, uma desvantagem que essa fonte de energia tem em relação a outras é o fato de não poder ser armazenada, pelo menos não em sua forma pura, só depois de ter sido transformada. Em geral, a conversão acontece de forma instantânea. Será mesmo?

Acabamos de constatar mais um ponto positivo a favor da energia solar: na realidade, ela pode, sim, ser armazenada! Isso é o que pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts descobriram recentemente. Com a nova tecnologia que os cientistas desenvolveram, tornou-se possível armazenar a luz em sua forma química, por longos períodos de tempo e sem perder o seu valor e potencial energético.

Debates sobre fontes de energia sempre movimentam governos e institutos, porque essa é uma questão essencial ao desenvolvimento de qualquer sociedade. Foi isso que motivou os estudiosos.

Mas afinal, como funciona essa nova tecnologia que promete conservar a composição química da energia solar? O estudo partiu de uma análise de uma substância: o fulvaleno de di-rutênio, um composto químico que armazena a luz do sol. Depois de observar as características desse composto e entender como ele funciona, o próximo passo dos pesquisadores foi procurar um substituto para ele na natureza.

Foi então que eles identificaram uma mistura de nanotubos de carbono com azobenzeno como uma alternativa que atenderia às necessidades de armazenamento em questão. Ao combinar essas pequeninas estruturas de carbono como o azobenzeno, o resultado era uma substância com potencial de armazenamento ainda maior, mais eficiente e mais barato. A pesquisa não podia ter um resultado melhor!

No entanto, essa pesquisa ainda não pode ser dada por encerrada. De acordo com os próprios pesquisadores, eles ainda estão verificando a viabilidade de aplicar a mesma técnica a outras substâncias, gerando outras possibilidades de compostos químicos.

Pensando em termos práticos, o armazenamento de energia solar também já está se concretizando. A Tesla, empresa referência nesse segmento nos Estados Unidos, anunciou em novembro desse ano o primeiro projeto de armazenamento de energia solar e eólica do mundo todo. Esse projeto deve estar em funcionamento antes do final de 2018 e promete gerar mais de 100 empregos, no Queensland, Austrália, onde está sendo desenvolvido.

A ideia do projeto, o Kennedy Energy Park, é combinar a energia solar, eólica e o armazenamento para oferecer energia elétrica de qualidade e baixo custo, a princípio, para 35 mil residências australianas. Dependendo dos resultados, isso pode se estender para todo o país e, por que não, se tornar uma tendência a nível mundial.

O que você acha das últimas novidades em relação à energia solar? Felizmente, essa fonte de energia renovável tem se tornado cada vez mais promissora em todo o mundo. energia solar

Deixe seu comentário.